logo-1.svg

Prefeitura amplia repasses para Santa Casa em 15,73%

Neste ano, a atual gestão estará transferindo R$ 4.680.000,00 para o hospital

Por Wagner D´Antonio

MAIS RECURSOS | A Santa Casa não é administrada pela Prefeitura de Capão Bonito, mas há inúmeras parcerias e Governo Municipal aplica todos os meses expressivos recursos públicos levando em conta sua importância estratégica para população local e região.

Em 2022, a prefeitura repassava R$ 317 mil para o hospital. O repasse acabou sendo ampliado para R$ 337 mil em outubro para contratação de mais um médico plantonista.

Diante de novas necessidades do hospital, principalmente acentuada com o aumento de atendimentos de pacientes de outras cidades, o prefeito Júlio Fernando e o vice e secretário de Saúde autorizaram um novo aporte de recursos de mais R$ 53 mil (mais 15,73%), totalizando R$ 390 mil por 12 meses.

Neste ano, a atual gestão estará transferindo R$ 4.680.000,00 para o hospital.

O documento garantindo os repasses foi assinado na tarde de segunda-feira, 16/01, com a presença do prefeito Júlio Fernando, do vice-prefeito e secretário – Roberto Tamura, da secretária de Finanças- Carla Jeanice e do provedor Marco Moretto.

“Nossa gestão vem fazendo sua parte para que tenhamos uma Saúde cada vez mais estruturada e com qualidade de atendimento. Estaremos sempre cobrando e buscando o diálogo para avançar mais”, frisou o prefeito.

O provedor Marco Moretto explicou que o aumento de repasses foi fundamentação para evitar interrupção da logística de atendimento.

Em contrapartida, tanto Prefeitura como provedoria da Santa Casa vêm intensificando esforços visando ampliar a captação de recursos nas esferas federal e estadual.

Uso correto do Pronto Socorro – A diretoria da Santa Casa também continua chamando a atenção para a real função do Pronto Socorro do hospital.

“Como o próprio nome diz, é atender pacientes que estejam em estado de Urgência ou Emergência. São pessoas que correm risco eminente de vida, como acidentados, suspeita de infartos, derrames, apendicite, pneumonia, fraturas, entre outras complicações. Essa informação é o caminho correto para o bom atendimento, uma vez que a cada 10 pessoas que procuram o serviço, em média, seis não são casos de urgência. Em geral, esses casos poderiam ser atendidos com hora marcada, em consultórios e postos de saúde. E esses mesmos casos são responsáveis pelo aumento do tempo de espera causado aos que necessitam ser atendidos com urgência, uma vez que ocasos mais graves demandam mais tempo da equipe de atendimento. Outro item que dificulta o trabalho da equipe no Pronto Socorro é o número exagerado de acompanhantes, o que causa a sensação de superlotação e aumenta o risco de contaminação. O Pronto Socorro também não é o lugar certo para solicitação de exames, trocas de receitas, atestados de saúde e outros procedimentos que não sejam de urgência. O uso consciente por parte dos usuários colabora para o melhor funcionamento do Pronto Socorro, diminuindo o tempo de espera e melhorando o fluxo do atendimento médico-hospitalar. Faça sua parte: use corretamente o Pronto Socorro. Com isso você ajuda também a melhorar os serviços prestados pela Santa Casa!”, explicou o hospital em nota.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp