logo-1.svg

CPI-7 de Sorocaba homenageia prefeito de Capão Bonito

CPI-7 de Sorocaba homenageia prefeito de Capão Bonito

O Colar Evocativo da Revolução Liberal de 1842 é uma das mais importantes comendas da Polícia Militar do Estado

COMENDA DA REVOLUÇÃO LIBERAL – O prefeito Julio Fernando de Capão Bonito e outras autoridades da região e do Estado foram homenageados com o Colar Evocativo da Revolução Liberal de 1842, outorgado pelo Comando de Policiamento da 7ª Região (CPI-7), sediado em Sorocaba que agrega mais de 70 municípios e tem no comando o coronel Wagner Tardelli.

A cerimônia de entrega da homenagem aconteceu na manhã da última segunda-feira, 05 de outubro, na sede do CPI-7.

O Colar Evocativo da Revolução Liberal de 1842 é uma das mais importantes comendas da Polícia Militar do Estado.

Foi criado em 1942, pelo Instituto Geográfico e Genealógico de Sorocaba, e oficializado por decreto governamental em 1992.

Ele é entregue a profissionais e homens públicos, em especial ligados ao Sudoeste paulista, que atuam em favor do progresso do Estado e do resgate histórico das tradições sorocabanas.

Ao receber a comenda, acompanhado do diretor de RH da prefeitura Erivaldo Lauri Rodolfo (Nhã), o prefeito lamentou o fato de dois policiais militares terem sido baleados durante combate ao crime organizado em Sorocaba e reforçou a parceria com a Polícia Militar em ações para melhorar a segurança pública da região.

Segundo o comando do CPI-7, a homenagem foi conferida ao prefeito de Capão Bonito pelo ser trabalho no Consórcio de Desenvolvimento da Região Sudoeste (Condersul) e em Capão Bonito, sempre apoiando os órgãos de segurança em várias outras ações.

Presentes na cerimônia, representantes do comando do Corpo de Bombeiros também agradeceram ao prefeito a doção de viatura comprada com recursos próprios da prefeitura para facilitar a logística de atendimento da corporação que tem uma base estratégica no município.

“Receber uma homenagem tão importante de uma instituição criada peplo briagadeiro Tobias de Aguiar e que está presente nos 645 municípios do Estado 24 horas por dia é muito importante e grande honra para um gestor público. Isso reforça os objetivos de continuar lutando pelo desenvolvimento da região sudoeste”, afirmou o prefeito Julio Fernando.

A Revolução – Há 173 anos, Sorocaba tentou invadir São Paulo. As forças comandadas pelo brigadeiro Tobias foram repelidas pelas tropas de d. Pedro II, comandadas pelo duque de Caxias, na época ainda barão. Tobias, que fundou a Polícia Militar, tinha apoio do ex-regente do Império, o padre Diogo Antonio Feijó.

O imperador mandou Caxias a Sorocaba para prender o brigadeiro revoltoso. A cidade se armou com canhões para bombardear as tropas imperiais, mas as armas não dispararam um único tiro. Antes de ser preso, Tobias se casou com Domitila de Castro, a Marquesa de Santos.

Esses episódios fazem parte da Revolução Liberal deflagrada no dia 17 de maio de 1842, a partir de Sorocaba.

Nomeado, brigadeiro, Tobias foi empossado pela Câmara como presidente interino da Província de São Paulo e convocou a população às armas contra a Monarquia. Os 173 anos do levante estão sendo resgatados em Sorocaba com exposições e projetos.

A cidade ainda preserva os três canhões que restaram da marcha libertadora, como os liberais chamaram a malograda expedição para ocupar a Capital.

As tropas chegaram até o Córrego do Pirajuçara, mas recuaram ao tomar conhecimento de que o exército e Caxias, vindo de Santos, já ocupava São Paulo.

As peças de artilharia, fabricadas na Real Fábrica de São João de Ipanema, atual Iperó, forma instaladas em um ponto estratégico, mirando a ponte do Rio Sorocaba. Os canhões que deveram defender a cidade da invasão das tropas federais não dispararam um único tiro. O brigadeiro Tobias avaliou que seria melhor recuar e evitar o derramamento de sangue.

De acordo com o historiador Adilson Cezar, a importância da cidade adquiriu por causa das feiras e do movimento tropeirista foi fundamental para o papel de Sorocaba na Revolução Liberal. Era um tempo em que Sorocaba e Itu se rivalizavam em importância econômica com a capital. Em Sorocaba, Tobias de Aguiar fundou a força que seria mais tarde a Polícia Militar.

Causa do levante – O Partido Liberal havia vencido as eleições, mas o Partido Conservador alegou fraude e convenceu d. Pedro II a anular o pleito. Em 1842. O Ministério Liberal foi dissolvido e os Conservadores retornaram ao poder.

Não aceitando a troca de Ministério, os liberais iniciaram a revolta que ficou conhecida como Revolução Liberal de 1842. Liberais das duas províncias – São Paulo e Minas Gerais, aderiram à revolução.

Em São Paulo, além de Sorocaba, Taubaté, Pindamonhangada, Lorena e Silveira também apoiaram a causa Liberal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp